Especialização em Enfermagem Obstétrica – Rede Cegonha


Vagas: 21 (a depender da avaliação da UFMG)
Tempo duração do curso: 18 meses
Turno:  Manhã/Tarde/Noite
Periodicidade da Oferta: Bienal
A quem se destina:   O curso será direcionado a enfermeiras (os) que já atuam em maternidades do Sistema Único de Saúde (SUS), com prioridade para àquelas com unidades federativas aderidas a Rede Cegonha e que em seus Planos de Ação Estadual estejam previstos Centros de Parto Normal – CPN sejam eles intra ou perihospitalar. Os profissionais precisam: Ter graduação em Enfermagem; Ter registro regular no Conselho Regional de Enfermagem de sua jurisdição; Apresentar carta de compromisso do gestor do serviço em que atua ou atuará (nos casos em que haverá criação de centros de Parto Normal –CPN;  Dedicar tempo suficiente à realização das atividades exigidas; Realizar os trabalhos e atividades sugeridas, indispensáveis à formação proposta.
Estrutura oferecida:

  • Laboratórios de enfermagem e informática;
  • Salas de aula climatizadas com data-show;
  • Dispositivos de Multimídia;
  • Biblioteca com exemplares atualizados;
  • Estágios realizados com acompanhamento de instrutores;
  • Auditórios e anfiteatros;
  • Corpo docente qualificado.

Perfil do Egresso: Para obtenção do certificado de Especialista em Enfermagem Obstétrica, a (o) estudante deverá ao final do curso ter comprovado a assistência direta de no mínimo de 20 partos, 15 atendimentos de pré-natal, 15 atendimentos ao recém nascido, além de elaboração de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), no formato de projeto de intervenção, com foco no processo de assistência ao pré-natal, parto e nascimento pela enfermagem obstétrica.

As (os) enfermeiras (os) obstetras egressos do Curso CEEO – Rede Cegonha deverão ser capazes de:

i) Realizar consulta de pré-natal, puerpério e saúde sexual e reprodutiva;

ii) Identificar e encaminhar gestantes alto risco no pré-natal; Sustentar a prática do enfermeiro obstetra na atenção ao parto e nascimento no âmbito da unidade obstétrica;

iii) Prestar assistência ao trabalho de parto, parto e puerpério, de acordo com as evidências e práticas de humanização;

iv) Oferecer atenção humanizada, ética e reflexiva nos cuidados com gestantes, parturientes e puérperas; prestar cuidados imediatos ao recém-nascido na sala de parto, protegendo o período sensível e demonstrar habilidade na reanimação neonatal de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SPB);

v) Desenvolver postura investigativa na perspectiva de inquerir sobre eventos relacionados à sua prática e elaborar documentos científicos.

Área de Atuação: Maternidades do Sistema Único de Saúde (SUS), com prioridade para àquelas com unidades federativas aderidas a Rede Cegonha e que em seus Planos de Ação Estadual estejam previstos Centros de Parto Normal – CPN, sejam eles intra ou perihospitalar.

Maiores Informações: ensino@es.ufrn.br